Segundo os dados publicados pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Mensal (PNAD Contínua) divulgados em junho/2020 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a taxa oficial de desemprego no Brasil subiu para 12,9% no trimestre encerrado em maio, atingindo 12,7 milhões de pessoas, com um fechamento de 7,8 milhões de postos de trabalho em relação ao trimestre anterior.

Com a baixa demanda de trabalho e um exército de pessoas disponíveis no mercado, empregados passam a aumentar o nível de exigência com relação a contratação de profissionais para cobrir posições em suas empresas.

Em um cenário altamente competitivo, é fundamental refletir sobre como anda seu potencial de empregabilidade. Ou seja, quais os diferenciais levam você a se destacar perante os demais candidatos.

Entre os diversos serviços que a Enkantha oferece, apoiamos nossos clientes em processos de Hunting e Coaching Executivo e, por isso, gostaríamos de compartilhar um pouco de nossa experiência com o objetivo de ajudá-lo nesta avaliação.

1 – Você se considera um profissional atualizado?

Se você está há mais de 1 ano sem nenhuma atividade acadêmica, considere um sinal de alerta!

Por incrível que pareça, atualmente, formação acadêmica tradicional (graduação, pós-graduação e MBA) é considerada como apenas uma base.

Ultrapasse todas as “barreiras” que nos impedem de investir em atualização! Atualmente, o mercado educacional oferece diversas opções em cursos presenciais/virtuais, que atendem a todos os públicos.

2 – Quanto você conhece sobre as tecnologias e inovações ligadas à sua área de atuação?

Aqui, a reflexão vai além de “saber a respeito”!

A pergunta é sobre conhecer, ser usuário, ter experiência de fato no assunto.

Lembre-se de que, com o alto nível de exigência, é provável que uma empresa opte por contratar o profissional com potencial de trazer novidades com relação à tecnologia e inovação.

Além de participar de feiras, congressos, revistas e artigos especializados, vale apostar em cursos oferecidos pelas empresas.

3 – Você consegue se comunicar em outro idioma?

Inglês e Espanhol ainda são os idiomas básicos! No entanto, a diferenciação está em um terceiro idioma que, geralmente, está diretamente ligado às empresas e suas relações comerciais.

Até aqui, nenhuma novidade… A reflexão está no nível de comunicação real que o profissional define no currículo.

Quer um exemplo? Se você informa em seu currículo “Inglês Fluente”, qualquer headhunter considerará que você tem condições de escrever, entender e, principalmente, se comunicar em inglês em qualquer situação, correto?!

Infelizmente, essa não é uma realidade que encontramos facilmente…

Logo, se você faz parte das pessoas que “escreve e entende, mas… não fala”, isso significa que não é fluente e não conseguirá seguir em frente em uma entrevista caso seja solicitado.

Portanto, recomendamos buscar por ajuda, através de um curso específico o quanto antes! Isso fará com que você esteja pronto para encarar qualquer oportunidade.

Tudo isso pode parecer algo extremo e, até mesmo, pouco provável para alguns. O fato é que a realidade do mercado é essa: o investimento em empregabilidade nunca termina e só depende de você!

Ao longo de nossa experiência, seja com candidatos entrevistados em processos de hunting ou profissionais que estiveram ou estão em Mentoria Executiva, essas são as recomendações básicas que fazemos e sempre apontam resultados positivos.

Esperamos que este texto tenha contribuído para sua reflexão e, claro, adoraremos conhecer suas percepções.

Até a próxima!

Open chat